sexta-feira, 22 de Março de 2013

Eterno fado da matemática



Passar os olhos pelas convocatórias de Paulo Bento e por todos os seus equívocos é um exercício de pura comédia. Assistir a uma partida de futebol desta equipa de amigos que o seleccionador português criou é um autêntico desperdício de tempo, um martírio apenas ao alcance do mais radical sadomasoquista. Não há uma coerência e nem mesmo uma lógica nas convocatórias (até há mas pela negativa), não existe a mínima organização dentro do campo, não se vê fio de jogo e, verdade seja dita (nunca pensei escrever tal coisa) até o espirito guerreiro, a garra e a paixão pelo desafio incutido pelo sargentão brasileiro se perdeu. O problema da selecção portuguesa é de tal forma grave, que nas mão de Paulo Bento até fenómenos como Cristiano Ronaldo ou João Moutinho se parecem com jogadores vulgares e isso é trabalho que não está ao alcance de qualquer um. 

A equipa das quinas até poderia ter vencido o jogo em Israel (seria tremendamente injusto) que não apagava a miserável exibição com que destruiu o almoço de milhares de portugueses. Assistindo a 90 minutos de jogo desta equipa, percebe-se perfeitamente o porquê de 5 jogos consecutivos sem vencer, ficando apenas por perceber o porquê de tanta teimosia por parte de Paulo Bento e, tal como em tempos escrevi aqui em relação ao mesmo senhor, a teimosia em excesso não é mais do que estupidez. 

É verdade que falar depois do jogo é sempre mais fácil e eu corro esse risco, mas não é menos verdade que depois de ver uma convocatória a todos os níveis ridícula (os mesmos critérios desajustados de sempre) e depois de ver um 11 talhado para o insucesso não era de esperar melhor fim para o primeiro jogo desta dupla jornada de qualificação. O resultado (3-3), tendo em conta as incidências do jogo, até pode parecer um mal menor, mas quando damos por nós a "festejar" um empate tardio contra esta "poderosa" selecção de Israel, está tudo dito... ao ponto a que isto chegou! O apuramento para o Mundial do Brasil está cada vez mais dependente das habituais contas, mas a verdade é que Portugal ainda não mostrou nada para merecer lá estar!


Dúvida: Como se explica que Paulo Bento tenho ignorado Varela nos seus melhores momentos de forma, fazendo dele eterno suplente do pouco inspirado Nani e agora, no momento em que o Drogba da Caparica atravessa a pior fase da sua carreira, lhe entregue a titularidade para um jogo tão importante como este tendo Pizzi, Vieirinha e Danny no banco? Há coisas que nem o seleccionador é capaz de explicar!

Sem comentários: